Carreiras

O mundo do trabalho

 

Carreira: Gestor de integração

O gestor de integração é um profissional que há muito atua nas empresas, porém, com outras denominações. É o responsável por coordenar o processo de fusão entre duas empresas com equipes, objetivos e ideais diferentes.

O cargo está com maior destaque no Brasil desde 2009 por conta da onda de fusões e aquisições que surgiu com a crise econômica.

Consultora Patrícia Tacaoca, da Kienbaum, fala ao blog Carreiras sobre as funções desse novo profissional que vem ganhando espaço nas empresas.

 

 

Escrito por Equipe do blog Carreiras às 20h05

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Vagas para pessoas com deficiência

De 11/9 a 25/9 haverá um estande montado para cadastrar currículos de pessoas com deficiências físicas no Shopping Eldorado (Avenida Rebouças, 3970, zona oeste).

O estande pretende fazer a conexão entre os trabalhadores cadastrados e as empresas de diferentes segmentos participantes do programa. (Pão de Açúcar, Ultragaz, Delta Construção e Instituto Embratel)

Para se cadastrar, basta levar RG, CPF e currículo. Quem não tiver o currículo pronto, poderá levar diplomas e informações para que seja feito um currículo.

Escrito por Equipe do blog Carreiras às 19h54

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

FIB no Brasil

Na edição de 05 de setembro a Folha abordou o tema de felicidade no trabalho. Na reportagem, foi citado o índice FIB (Felicidade Interna Bruta). Veja a entrevista completa com a fundadora e organizadora do indicador no país, Susan Andrews.

 

Folha - O que é Felicidade Interna Bruta?

Susan Andrews - É um indicador sistêmico desenvolvido Butão (país asiático) com o apoio do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) que mede o progresso da sociedade não somente no âmbito econômico, como o PIB. São consideradas nove dimensões: padrão de vida, educação, saúde, governança, cultura, vitalidade comunitária, resiliência ecológica, uso equilibrado do tempo e bem-estar psicológico. No Brasil, FIB não é meramente um indicador: é também um catalisador de mudança, um processo de mobilização social em prol do bem-estar coletivo e do desenvolvimento sustentável.  Um dos objetivos do FIB é a conscientização das lideranças locais para a formação de parcerias entre os principais setores da sociedade: governo, empresas, cidadania e academia, vizando o bem-estar de todos.

 

 

Folha - Existe relação entre FIB e trabalho? 

Susan Andrews - O potencial de diferenciação nos negócios não está mais concentrado somente em tecnologia ou processos ou ainda nos recursos financeiros. O grande fator de diferenciação está latente no potencial das pessoas e na geração de ativos intangíveis baseados nelas.
Marca, rede de relacionamentos, conhecimento tácito, capacidade de mobilização das pessoas, confiança e felicidade são exemplos destes ativos. 

Os cientistas organizacionais já provaram o valor dos ativos intangíves e da felicidade para diferenciar a performance empresarial e, neste sentido, o FIB, atuando tanto como indicador de gestão quanto como processo impulsionador de mudanças pessoais e organizacionais, tem demonstrado seu potencial de libertar o real valor das pessoas e transformar o modo como os negócios estão estruturados. 

Uma pesquisa feita pela Denison Consulting nos EUA mostrou que empresas com funcionários infelizes aumentaram suas vendas em 0,1% de 1996 a 2004, enquanto que as empresas com funcionários felizes aumentaram suas vendas em 15%.

 

Folha - Quando a senhora começou atuar com a FIB no Brasil?

Susan Andrews - Interessei-me pelo FIB há anos. Depois de participar de várias conferências internacionais, decedi trazer o movimento para o Brasil. Nunca havia imaginado a explosão de entusiasmo que aconteceu no país sobre o assunto. Mas acho que fazemos parte de um processo mundial de valorizar o ser humano, e não somente o dinheiro. 

 Tome, por exemplo, os EUA. O PIB americano aumentou três vezes nos últimos cinqüenta anos, mas a felicidade do povo declinou. Durante esse mesmo período quando o PIB triplicou, o número de divórcios duplicou, o de suicídios entre adolescentes triplicou, o de crimes violentos quadruplicou, e a população carcerária quintuplicou. Com todo o seu drámatico aumento em bens materiais, os americanos perderam algo muito mais precioso – seu sentido de comunidade. Exatamente aquilo que as pesquisas psicológicas constatam ser a verdadeira e duradoura fonte de felicidade: laços harmoniosos e amorosos entre as pessoas.

 Folha - Quais são as ações efetivas aplicadas no Brasil?

Susan Andrews - No Brasil, sob a orientação dos especialistas internacionais do FIB, nós do Instituto Visão Futuro temos desenvolvido uma versão brasileira do questionário, que foi aplicada em vários projetos-piloto no estado de São Paulo: nas cidades de Angatuba e Itapetininga, juntamente com suas respectivas prefeituras, e em Campinas, numa parceria com a Unicamp. A versão empresarial do FIB foi aplicada na Natura, na CIP (Câmara Interbancária de Pagamentos) e na Cemig. Os próximos projetos serão em São Paulo, Brasília, Goiânia, entre outras cidades. Acredito que em breve o FIB será espalhado por todo o Brasil. 

Escrito por Equipe do blog Carreiras às 17h22

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Blog Carreiras O blog Carreiras é uma extensão da cobertura publicada semanalmente no caderno Empregos&Carreiras. É produzido pelos jornalistas Bruna Borges, Cássio Aoqui, Jordana Viotto, Marcos de Vasconcellos e Raquel Bocato.
RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.